Make your own free website on Tripod.com
ARTE NO ESCURO

Banda que tinha como vocal Mariele  do Escola de Escândalos, lançou um LP em 1987 com oito músicas. Era bem do estilo do Escola de Escândalos e com ótimas letras e músicas. Atualmente Marielle faz parte de uma banda de Curitiba chamada Cores d' Flores. Suas músicas mais conhecidas são Beije-me cowboy e Na Noite.

A tela prateada e luminosa, o cinema, é arte no escuro. Os movimentos rápidos de um fósforo no escuro, cirando diferentes formas, são uma expressão artística. Mas a Arte no Escuro em forma musical também existe. E é feita no Brasil.

Arte no Escuro é uma banda de Brasília. Não mais uma banda do que se convencionou chamar "Rock de Brasília". Ela poderia ser de qualquer lugar, pois o trabalho que faz é internacional, só que utiliza o idioma português. O som é inspirado nas melhores bandas "noir" européias, sobretudo inglesas, mas com uma forte dose de personalidade própria e com um estilo e vontade de tocar acima do puramente profissional. Pois se há uma coisa que sobra no Arte no Escuro é vontade e emoção.

E seguindo um conceito dentro do seu estilo, o Arte no Escuro passeia com suas letras por temas abstratos, sombrios, melancólicos, românticos, quase que como num filme expressionista. A música flui perfeita dentro desse clima. E a voz da cantora Marielle é sublime. Ela vaga por entre as músicas criando climas que vão do hipnótico ao emocional. Em Beije-me Cowboy ela cria uma atmosfera erótico-masoquista super forte, e nas outras faixas mantém sempre o ar emocional, junto com a guitarra de Paulo Coelho, o baixo de Pedro Hiena e a bateria de Adriano. Somados, voz e instrumentos, eles formam o corpo e a alma do Arte no Escuro. Mas além dos quatro integrantes a banda teve a participação  de Lui (o mesmo do Passo), co-autor de quatro letras das oito músicas que compõem esse elepê de estréia.

Um coisa muito peculiar aos que são de Brasília é a unidade, o companheirismo, esse ar de uma única grande turma, onde um está sempre à disposição do outro para uma mãozinha. Esse foi o caso de Gutje, o baterista do Plebe Rude, que assina a produção ao lado de Mayrton Bahia. Gutje  assegurou a boa tradução das idéias do grupo para o vinil e o resultado final foi muito bom. Outros amigos de outros grupos também compareceram no disco, como Cascão e Débora, do Detrito Federal, na faixa Entre Aves de Rapina.

Agora é a vez de todo país conhecer a arte do Arte no Escuro e perceber que por trás das sombras se esconde muita poesia... e dor.

Tom Leão (Retirado do encarte do LP Arte no Escuro, de 1987)

| INÍCIO | INDÍCE | DISCOGRAFIA | LETRAS |